Ceará: Após novo decreto, setor de eventos comemora fim da restrição de público em festas

O novo decreto estadual de medidas de controle à pandemia retira a limitação de público para eventos sociais, festivos e esportivos. A liberação foi anunciada em live pelo governador Camilo Santana nesta sexta-feira (4) e passa a valer a partir da próxima segunda-feira (7).

O decreto atual, vigente até o próximo domingo (6), estabelece a capacidade máxima de 250 pessoas em locais fechados e 500 nos abertos. Esse limite foi definido em janeiro deste ano, com o avanço da variante ômicron, mas agora foi flexibilizado diante da queda do número de casos da doença no estado.

A liberação do público depende da exigência do comprovante vacinal de 3 doses e da obrigatoriedade do uso de máscara dentro dos ambientes.

Um dos segmentos mais prejudicados durante a pandemia, o setor de eventos comemora a medida como uma forma de retomar os prejuízos dos últimos dois anos e voltar às atividades normais.

Para a diretora da Academia Brasileira de Eventos e Turismo (ABEVT), Enid Câmara, a liberação é um sinal de esperança depois de anos difíceis para as empresas.

“Acho que é uma decisão sábia, afinal o cenário já é outro e o setor está há dois anos parado por decreto. As empresas que sobreviveram até aqui precisavam deste sinal e de uma esperança. Vamos trabalhar muito e continuar lutando que venham além de liberação, novas políticas públicas e privadas que possam amenizar o sofrimento de tantos empreendedores desta importante cadeia produtiva”, afirma.

Volta ao trabalho

A presidente da Associação Brasileira dos Promotores de Eventos no Ceará (Abrape-CE), Liege Xavier, considera que medida é vista com “ótimos olhos”. Segundo ela, o setor se anima com a possibilidade de voltar a trabalhar.

“Já veio até tarde, era o único estado do Brasil com restrição. A gente há muito tempo já queria uma abertura maior, não tinha mais o que fazer. O setor estava totalmente estagnado, totalmente parado”, diz.

Liege destaca que o setor já está sendo uma grande alavanca da imunização no estado e deve continuar sendo com a liberação, já que a entrada nos eventos só é possível mediante apresentação de comprovante de vacinação. Ela ressalta que, para além da liberação, as empresas precisam de apoio neste momento.

“O primeiro passo é voltar a trabalhar. A gente é um setor que trabalha e coloca para frente mais de 60 outras profissões, é uma cadeia toda que é beneficiada. Agora a gente primeiro quer voltar a trabalhar e depois vamos continuar precisando de apoio, porque ficamos dois anos sem trabalhar, tivemos pouca abertura de tempo e capacidade. O setor precisa de um olhar especial para que ele consiga retomar”, defende.

Diário do Nordeste

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao Topo