Gestão Allyson Bezerra já remanejou R$ 83 milhões em 2022, aponta vereador

Foto: Edilberto Barros

Ao consultar o Quadro de Detalhamento de Despesa (QDD) da Prefeitura de Mossoró para 2022, publicado segunda-feira (21) no Jornal Oficial de Mossoró (JOM), o vereador professor Francisco Carlos (PP) se disse surpreso com remanejamento de R$ 83 milhões no Orçamento.

Segundo ele, é de se estranhar redirecionamento de recursos já no início do exercício financeiro. Embora legal, o procedimento sugere dificuldade de planejamento e de execução orçamentária, na visão do parlamentar, que abordou o tema na Câmara, ontem (23).

“Não é razoável remanejamento já no começo do ano”, observou Francisco Carlos. Ele disse que continuará a acompanhar a execução orçamentária da Prefeitura, assim como fez ao longo de 2021, quando constatou mais de R$ 300 milhões em remanejamento.

“Esse tema certamente será objeto de discussão ao longo do ano nesta Casa Legislativa. E vamos ficar atento ao projeto da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) para 2023, que chegará à Câmara em maio, para evitar repetição de situações verificadas na LDO 2022”, adiantou.

Outros temas

Em segundo pronunciamento na tribuna, nesta quarta-feira (23), Francisco Carlos disse que verificará duas informações recebidas pelo mandato: uma sobre possível exigência de complemento para o corte de terra; outra, sobre empréstimos consignados.

“Vamos oficiar a Caixa sobre a informação de que a Prefeitura recolheu empréstimos consignados de servidores e não pagou ao banco”, anunciou Francisco Carlos, que encerrou pronunciamento, abordando a Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Lazer.

Presidido por ele, o colegiado, em reunião sexta-feira (18), elencou problemas e desafios mais urgentes da educação de Mossoró. Ao apresentar os itens, o vereador propôs visita de Comissão de Educação para inspecionar a situação de escolas municipais.

Defato.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao Topo